Auto-serviço

Evite golpes: conheça as mentiras comuns dos vendedores de carros usados

O sonho de ter o carro desejado pode se tornar um verdadeiro pesadelo quando a pessoa que está negociando um veículo usado acabar contando mentiras ou ocultando informações importantes para o promitente comprador. Por isso, é importante conhecer as mentiras mais comuns no ramo de compra e venda de automóveis:

“O carro é único dono”

Algumas vezes, esta informação é inserida somente para chamar a atenção de um veículo nos anúncios. E nem sempre o carro “único dono” de fato teve apenas um motorista: ele pode ter pertencido, por exemplo, a uma frota de locadora ou empresa, sendo utilizado por diversas pessoas antes de ser vendido.

“O ar-condicionado não funciona, mas é só colocar gás”

Se a solução para o problema do ar-condicionado fosse tão simples, muito provavelmente o vendedor do veículo já o anunciaria o automóvel com o gás do sistema incluso, pois o valor da recarga é relativamente baixo na comparação com o valor do veículo. Muito provavelmente, nestes casos em que o ar não gela, há vazamentos ou até problemas mais sérios, como no compressor de ar.

“Esse carro é de mulher”

Apesar desta informação gerar um pensamento de que o carro pode ter sido tratado com mais carinho, o mais importante para fazer uma boa compra ainda é se atentar ao estado de conservação do veículo, independente do gênero da pessoa que teve o automóvel anteriormente.

“Essa picape nunca teve a caçamba utilizada” / “Este jipe nunca foi usado em trilha”

Primeiramente, é importante desconfiar da afirmação, afinal, são veículos cujos propósitos de compra estão diretamente ligados a certos tipos de utilização. Além disso, os centros de estética automotiva estão cada vez mais se utilizando de técnicas e produtos que disfarçam as marcas de uso do veículo. Novamente, é importante se atentar ao estado de conservação geral do automóvel em análise.

“Carro automático” que na verdade é automatizado

Alguns carros vendidos no Brasil trouxeram câmbio automatizado, sem pedal de embreagem, mas com princípio de operação totalmente diferente das transmissões automáticas propriamente ditas, com conversor de torque. Certos câmbios automatizados apresentavam problemas e quebras, o que levou a “esconder” este termo. Por isso, olho vivo: pesquise antes se o veículo desejado foi produzido com câmbio automático ou automatizado.

“Este carro faz 19 km/l na cidade!” (Mas o dado de fábrica fala em 12 km/l…)

Desconfie de quando o vendedor descreve médias de consumo de combustível quase milagrosas no anúncio. Lembre-se sempre que o consumo de um automóvel varia bastante de acordo com inúmeros fatores, como pressão dos pneus, peso transportado no veículo, uso do ar-condicionado, instalação de acessórios, tipo de combustível utilizado, forma de acelerar e de usar os freios, entre muitos outros aspectos.

“Vou vender este carro para quitar uma casa”

A afirmativa pode até ser verdadeira, mas não se deixe comover por este argumento. Muita gente justifica a venda do automóvel dizendo que vai viajar para o exterior ou assumir uma outra dívida. Mas você já viu por aí alguém dizer que estava se desfazendo do carro porque não gostou de usar ele, ou porque o veículo começou a apresentar custos muitos salgados de manutenção?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.